25/07/2024
06:22

Nove dos 12 estádios da Copa de 2014 ainda não foram pagos; saiba quais

WhatsApp
Facebook
X
Vista aérea do Mineirão (foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)

Igor Siqueira e Rodrigo Mattos – Depois de dez anos da partida que marcou a abertura da Copa do Mundo de 2014, o Brasil ainda não pagou a conta pela realização de seu segundo Mundial de futebol. A reportagem apurou que 9 dos 12 estádios construídos ou reformados para o torneio ainda devem para o BNDES, responsável pelo financiamento das obras.

Só um estádio foi realmente pago

Para garantir que o país teria condições de receber o torneio, o governo federal criou uma linha de crédito especial. O ProCopa Arenas destinou R$ 4,145 bilhões para 11 projetos. A reforma do Mané Garrincha, em Brasília, foi a única que não usou esse dinheiro – o governo do Distrito Federal bancou.

Entre essas 11 arenas, só uma já pagou completamente a conta: o Mineirão, em Belo Horizonte. O repasse foi de R$ 400 milhões.

O segundo estádio quitado para o BNDES pode ser uma surpresa: o banco considera que a Neo Química Arena, do Corinthians, está quitada. Mas esse status precisa de um asterisco, já que a dívida com o BNDES foi paga com um repasse da Caixa Econômica Federal. Na prática, essa dívida, que começou em R$ 400 milhões, ainda existe, só mudou de credor.

Não há valor da dívida

O BNDES não divulgou o total ainda em aberto no ProCopa Arenas, alegando sigilo bancário. Confirmou apenas que os outros estádios têm valores pendentes de pagamento.

Para tentar descobrir a cifra total, a reportagem procurou os governos estaduais. E quatro deles (Rio de Janeiro, Ceará, Bahia e Paraná) confirmaram o valor exato do saldo a pagar, até o fim de abril.
O financiamento para Maracanã, Castelão, Arena Fonte Nova e Ligga Arena foi de R$ 1,2 bilhão. E os quatro estados já quitaram R$ 893,7 milhões. Ou seja, a pendência deles, ao todo, é de R$ 312,4 milhões.

As secretarias da Fazenda de Mato Grosso, Amazonas e Pernambuco não responderam aos questionamentos.

No caso de Beira-Rio e Arena das Dunas, o financiamento do BNDES foi feito a entidades privadas, administradoras dos estádios, que optaram por não revelar o andamento dos parcelamentos.

Como foi desenhado o parcelamento

É bom ressaltar que o fato de os estádios ainda estarem devendo não significa que haja atraso nos pagamentos. Os empréstimos foram feitos entre 2010 e 2012, e cada beneficiário negociou termos individuais com o BNDES.

O parcelamento foi esticado por causa de uma lei criada por ocasião da pandemia que permitiu a pausa nos pagamentos e a negociação de novos prazos para quitação completa.

No Paraná, por exemplo, o estado deveria pagar o principal da dívida em 156 parcelas mensais e sucessivas, com vencimento da primeira em 15 de dezembro de 2014 e liquidação do contrato em 15 de novembro de 2027. Mas, segundo a Secretaria Estadual de Fazenda, “foi acordado que a nova data de término dos pagamentos seria 16 de novembro de 2028”.

Já o financiamento do Castelão tinha como data final do contrato, inicialmente, 15 de agosto de 2020. A Secretaria de Fazenda informou que “o prazo final para amortização foi prorrogado até 15 de dezembro de 2026 e será pago normalmente”.

No Rio, a operação dos R$ 400 milhões do Maracanã tinha previsão de quitação em 15 de agosto de 2027. Mas “o contrato teve o prazo inicial estendido por um ano, em 2020”, segundo a Secretaria de Fazenda.

“Como o Rio está no Regime de Recuperação Fiscal (RRF), a operação vem sendo paga pela União e o estado paga ao governo federal de acordo com as regras do RRF”, completou o órgão.

Na Bahia, o prazo de pagamento é até 15 de dezembro de 2027. “As parcelas de amortização vêm sendo pagas regularmente pelo estado, que nunca ficou inadimplente”, segundo a Secretaria de Fazenda.

ProCopa Arenas (Projeto/beneficiário) – UF – Valor desembolsado – Valor pendente de pagamento – Status da operação

  • Maracanã (Estado do Rio de Janeiro) – RJ – 400,00 – 114,4 – Ativa
  • Castelão (Estado do Ceará) – CE – 351,50 – 78,3 – Ativa
  • Fonte Nova (Estado da Bahia) – BA – 323,60 – 72,3 – Ativa
  • Arena da Baixada (Estado do Paraná) – PR – 131,10 – 47,4 – Ativa
  • Arena Pantanal (Estado de Mato Grosso) – MT – 393,00 – Não informado – Ativa
  • Arena Pernambuco (Estado de Pernambuco) – PE – 394,00 – Não informado – Ativa
  • Arena da Amazônia (Estado do Amazonas) – AM – 400,00 – Não informado – Ativa
  • Complexo Beira-Rio (SPE Holding Beira-Rio S/A) – RS – 275,10 – Não informado – Ativa
  • Arena das Dunas (Arena das Dunas Concessão e Eventos S/A) – RN – 397,00 – Não informado – Ativa
  • Mineirão (Minas Arena – gestão de instalações esportivas S/A) – MG – 400,00 – – – Liquidada
  • Arena São Paulo – repasse via Caixa (Arena Itaquera S/A) – SP – 400,00 – – – Liquidada

Confira a matéria completa em: noataque.com.br

--:--
--:--
  • cover
    Rádio Galáxia 99,5 FM
  • cover
    Rádio Itatiaia 102.3 FM
  • cover
    Rádio 94 FM
  • cover
    Rádio Grande Vale 93.1 FM
  • cover
    Rádio Líder 95.3 FM
  • cover
    Rádio Vanguarda 1170 AM 91.3 FM
  • cover
    Rádio Educadora 1010 AM
  • cover
    Rádio Educadora 107.1 FM
  • cover
    Rádio Tropical Vale 96.1 FM
  • cover
    Rádio Vox 97.1 FM
  • cover
    Rádio Jovem Pan Vale do Aço 103.5 FM
  • cover
    Rádio 98,1 FM
  • cover
    Rádio Nova 98,7 FM